sábado, 5 de dezembro de 2015

Exercícios/Orações subordinadas substantivas

1) Complete a coluna A de acordo com a B, conforme a função sintática da oração subordinada substantiva:
    
    Coluna A                                                                                                
    (    ) Não se sabe se haverá aula na próxima segunda-feira.                  
    (    ) Alguém nos dissera que José havia falhado nas intenções.           
    (    ) Consta que as aulas se prolongarão até o dia 30.                           
    (    ) Diz-se que não haverá programa de televisão.                               
    (    ) Dizem que todos chegaram cedo à reunião.                                
    (    ) O interessante é que aproveitamos a reunião.
    (    ) Compreendamos que nem tudo é fácil.
    (    ) Não se divulgou se prometeu que viria.
    (    ) Perguntaram-nos se o diretor estava na escola.
    (    ) Tudo indica que teremos pouca frequência.

Coluna B
   (S) Subjetiva
   (OD) Objetiva direta
   (OI) Objetiva indireta
   (P) Predicativa

2) (UFPR) "Julieta ficou à janela na esperança de que Romeu voltasse." A oração em destaque é:
   a) subordinada substantiva subjetiva
   b) subordinada substantiva completiva nominal
   c) subordinada substantiva predicativa
   d) subordinada adverbial causal
   e) subordinada adjetiva explicativa

3) (FESP-SP) Observe
   I. Convém que todos participem.
  II. Fique quieto, pois está incomodando.
 III. Amou daquela vez como se fosse a última.
  IV. Machado de Assis, que escreveu Dom Casmurro, fundou a Academia Brasileira de Letras.

  Assinale a alternativa que não corresponde à classificação das orações em destaque:
  a) No item I, oração subordinada substantiva subjetiva.
  b) No item II, a oração subordinada sindética explicativa.
  c) No item III, oração subordinada adverbial comparativa.
  d) No item IV, oração subordinada adjetiva explicativa.
  e) no item II, a primeira oração é coordenada assindética.

4) (FGV-SP) "Nota-se facilmente que nunca perceberam o papel secundário que exerciam naquele período." A oração em destaque é:
  a) substantiva objetiva direta
  b) substantiva completiva nominal
  c) substantiva predicativa
  d) substantiva subjetiva
  e) n.d.a.

5) (UFCE) Identifique o período em que a oração destaca exerce a função de sujeito.
  a) É possível que a prova seja adiada.
  b) Consta que a prova foi adiada.
  c) Não acredito que haja adiamento da prova.
  d) Se a prova for adiada, ficaremos decepcionado.
  e) Só irei embora quando se confirmar o adiamento da prova.

6) (UFAC) No período "Enfim resolveu o Leão sair para fazer sua pesquisa, verificar se ainda era o Rei dos Animais", a oração em destaque é: 
   a) subordinada adverbial condicional
   b) subordinada substantiva objetiva indireta
   c) subordinada adverbial concessiva
   d) subordinada substantiva objetiva direta
   e) subordinada substantiva predicativa

7) Indique a alternativa em que a oração destacada é uma subordinada completiva nominal:
   a) Este é o relatório de que lhe falei ontem.
   b) Lembraram-se de que a reunião fora adiada.
   c) Insisto em que partas logo.
   d) As pessoas gostam de que as tratem bem.
   e) Espalhou-se a notícia de que ele chegou.

8) (UFSE) Ela sempre soube que o maior desejo dele era este: ser aviador.
  A oração em destaque classifica-se como subordinada substantiva:
  a) completiva nominal
  b) objetiva direta
  c) subjetiva
  d) apositiva
  e) predicativa

9) (UFAL) O pai acabou de convencer o filho de que era preciso um esforço maior.
   A oração destacada no período acima classifica-se como subordinada:
   a) substantiva objetiva direta
   b) adjetiva restritiva
   c) substantiva predicativa
   d) substantiva completiva nominal
   e) substantiva objetiva indireta

10) (UFAM) A frase em que ocorre oração substantiva subjetiva é:
  a) Haverá ainda esperança de que a Terra se torne azul?
  b) Certo astronauta declarou isto: a Terra é azul.
  c) Creiamos que a Terra é mesmo azul.
  d) Já se afirmou que a Terra é azul.
  e) Quem nos dera que a Terra fosse azul.

 11) (UA-AM) Dadas as frases: 
    I. Percebe-se que a debatedora estava muito bem preparada.
   II. Os operários eram favoráveis a que alterassem todo o regimento interno da imprensa.
  III. O candidato oferecia muitas vantagens a quem votasse nele.

   As orações subordinadas substantivas destacadas classificam-se respectivamente como:
  a) objetiva direta/objetiva indireta/completiva nominal
  b) objetiva direta/objetiva indireta/predicativa
  c) subjetiva/completiva nominal/objetiva indireta
  d) predicativa/predicativa/objetiva direta
  e) objetiva direta/completiva nominal/objetiva indireta

12) (FCE-SP) "Os homens sempre se esquecem de que somos todos mortais." A oração destacada é:
  a) substantiva completiva nominal
  b) substantiva objetiva indireta
  c) substantiva predicativa
  d) substantiva objetiva direta
  e) substantiva subjetiva


13)  Procurando se ater ao código ora exposto, relacione a segunda coluna de acordo com a primeira:
  (A) oração subordinada objetiva direta
  (B) oração subordinada completiva nominal
  (C) oração subordinada objetiva indireta
  (D) oração subordinada subjetiva
  (E) oração subordinada predicativa

  (   ) Ninguém desconfiava de que as decisões já estavam tomadas.
  (   ) Chegamos à conclusão de que nosso passeio não acontecerá.
  (   ) O problema é que não confio em você.
  (   ) O barulho constante não permite que os moradores vivam tranquilos.
  (   ) Decidiram-se que as novas mercadorias teriam um novo valor.


14)  (Objetivo-SP) No período: "É necessário que todos se esforcem", a oração destacada é:

  a) substantiva objetiva direta
  b) substantiva objetiva indireta
  c) substantiva completiva nominal
  d) substantiva subjetiva
  e) substantiva predicativa


15)  (UFSCar-SP) Marque a opção que contém oração subordinada substantiva completiva nominal.

a) "Tanto eu como Pascoal tínhamos medo de que o patrão topasse Pedro Barqueiro nas ruas da cidade."
b) "Era preciso que ninguém desconfiasse do nosso conluio para prendermos o Pedro Barqueiro."
c) "Para encurtar a história, patrãozinho, achamos Pedro Barqueiro no rancho, que só tinha três divisões: a sala, o quarto dele e a cozinha."
d) "Quando chegamos, Pedro estava no terreiro debulhando milho, que havia colhido em sua rocinha, ali perto."
e) "Pascoal me fez um sinalzinho, eu dei a volta e entrei pela porta do fundo para agarrar o Barqueiro pelas costas."





Gabarito

1) OD/OD/S/S/OD/P/OD/S/OD/OD
2) b
3) b
4) d
5) b
6) d
7) e
8) d
9) e
10) d
11) e
12) b
13) c/b/e/a/d
14) d
15) a

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Exercícios II/ Orações subordinadas adjetivas

1) (PUC-SP) Assinale o período em que há uma oração adjetiva restritiva:
    a) A casa onde estou é ótima.
    b) Brasília, que é capital do Brasil, é linda.
    c) Penso que você é de bom coração.
    d) Vê-se que você é de bom coração.
    e) Nada obsta a que você se empregue.

2) (UFPA) A oração assinalada tem valor de adjetivo em:
    a) Não sei por que há de a gente desenhar objetivamente as coisas.
    b) Para isso, já existe a fotografia, com a qual jamais poderemos competir.
    c) Se tivesse o dom da pintura, eu seria um pintor lírico.
    d) E se me dispusesse a pintar Eurídice, talvez viesse a surgir na tela um hastil, o arco tendido na lua...
    e) E tudo isso e outras coisas que só os anjos e os demônios saberão.

3) (UPF/RS) Se, no período "Essa é a conhecida romaria dos desempregados nos dias que correm", substituíssemos a oração "que correm" pelo adjetivo "correntes" teríamos: "[...] nos dias correntes".
     Fazendo o mesmo tipo de substituição nos períodos seguintes, a alternativa em que a oração em negrito não pode ser substituída pela forma adjetiva correspondente em destaque é:
   a) Apesar do desemprego generalizado, existem muitas áreas que carecem de mão de obra especializada. (carentes)
   b) Seu texto tem de ser apresentado numa letra que possa ser lida. (legível)
   c) Para limpar bem aqueles tecidos, adicionaram à água um produto que branqueia. (branqueante)
   d) Para candidato  a prefeito exigiram uma pessoa que atue na comunidade. (atual)
   e) paliativos não adiantam. Para os problemas da educação é preciso buscar soluções que durem. (duradouras)

4) Considere os três períodos:
    I.  Ele visitou algumas povoações ribeirinhas.
   II. Ele visitou algumas povoações das margens dos rios.
  III. Ele visitou algumas povoações que ficam nas margens dos rios.

   Pela ordem, os segmentos destacados são:
   a) adjetivo/locução adverbial/oração subordinada substantiva
   b) advérbio/locução adjetiva/oração subordinada adjetiva restritiva
   c) adjetivo/locução adjetiva/oração subordinada adjetiva explicativa
   d) advérbio/locução adverbial/oração subordinada adjetiva restritiva
   e) adjetivo/locução adjetiva/oração subordinada adjetiva restritiva

5) Compare estes dois períodos:
   1. A ex-mulher de meu irmão, que é advogada, mora em Porto Alegre.
   2. A ex-mulher de meu irmão que é advogada mora em Porto Alegre.

  Agora considere a validade destas afirmações: 
   I. Nos dois períodos, o antecedente do pronome relativo "que" é o nome "irmão".
  II. Em 1, a oração adjetiva, por ocorrer entre vírgulas, é explicativa; em 2, por apresentar-se sem vírgulas, é restritiva.
 III. Em 1, fica subentendido que o irmão do falante separou-se uma única vez.
  IV. em 2, fica subentendido que o falante tem outro(s) irmão(s) que não é(são advogado(s).

  Estão corretas:
  a) I, II, III e IV
  b) Apenas I, II e IV
  c) Apenas I, III e IV
  d) Apenas II, III e IV
  e) Apenas II e IV

6) (UFPA) Há no período uma oração subordinada adjetiva:
   a) Ela falou que compraria a casa.
   b) Não fale alto, que ela pode ouvir.
   c) Vamos embora, que o dia está amanhecendo.
   d) Em time que ganha não se mexe.
   e) Parece que a prova não está difícil. 

7)  Classifique cada oração destacada e marque o item que possui a sequência correta dessa classificação.
     I. O jovem que se esforça progride.
    II. O livro que li é muito bom.
   III. Teresa, que era personagem principal, morre no final da história.


   a) restritiva/explicativa/explicativa

   b) restritiva/restritiva/explicativa
   c) explicativa/restritiva/restritiva
   d) explicativa/explicativa/restritiva
   e) restritiva/explicativa/restritiva


8) Encontre a oração subordinada adjetiva restritiva:
    a) O homem que discursava sorria.
    b) O triste é que não era uma planta qualquer.
    c) Só imponho uma condição: que não chegues tarde.
    d) Meu irmão saiu ontem.
    e) Sabe-se que o resultado foi positivo.


9) Nos períodos apresentados, os trechos destacados são, respectivamente, orações subordinadas adjetivas:
    I. “O garçom, que já não era mais o mesmo de antigamente, atendeu-nos com indiferença.” (Fernando Sabino)
   II. “Vários fregueses que sempre procederam bem quebraram tudo de repente.” (Graciliano Ramos )
  III. “Foi esse trechozinho de romance que ligou os dois homens.” (Machado de Assis)
  IV. “Chamou ontem o Dr. Fagundes, que é médico de casa desde anos.” (Cyro dos Anjos)
   V. “Minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá.” (Gonçalves Dias)

   a) explicativa / restritiva / restritiva / explicativa / restritiva.
   b) restritiva / explicativa / restritiva / restritiva / explicativa.
   c) explicativa / explicativa / explicativa / restritiva / restritiva.
   d) restritiva / restritiva / explicativa / explicativa / explicativa.
   e) restritiva / explicativa / explicativa / explicativa / restritiva. 


10) Tira:


  

a) No segundo quadrinho da tira, há uma oração subordinada adjetiva. Reescreva-a e classifique-a:


Gabarito:
1) a
2) e
3) d
4) e
5) d
6) d
7) b
8) a
9) a
10) ... que nunca tentaram/Oração subordinada adjetiva restritiva

Exercícios/ Orações subordinadas adjetivas

 1) Transforme os períodos simples em períodos compostos com orações subordinadas adjetivas.
     O aluno estudioso aprende. →  O aluno que estuda aprende.
     a) O homem trabalhador vence na vida.
     b) O aluno preocupado sente-se inseguro.
     c) O homem sorridente revela despreocupação.
     d) O aluno interessado aprende.  

2) A seguir, há três períodos simples. Reúna-os num único período composto por subordinação utilizando as orações adjetivas. Faça as modificações que julgar necessárias.
     O atacante foi negociado com o Barcelona. O Barcelona é o atual líder do campeonato espanhol. o contrato do jogador com o time brasileiro terminou.

Leia o texto e faça as atividades de 3 e 4.
"O carteiro, cujo velho sonho era a formatura do filho, viu logo ali meios de consegui-la. Castrioto, o escrivão do juiz de paz, que o ano passado conseguiu comprar uma casa, mas ainda não pudera cercar, pensou no muro, que lhe devia proteger a horta e a criação. Pelos olhos do sitiante Marques, que andava desde anos atrapalhado para arranjar um pasto, passou logo o prado verde do costa, onde seus bois engordariam e ganhariam forças [...]"
                                      BARRETO, Lima. A nova Califórnia. In: MORICONI, Ítalo (Org). Os cem                                                                                 melhores contos brasileiros do século. RJ: Objetiva, 2001. p. 40.


3) Classifique as orações destacadas no texto.

4) Qual é a oração principal do segundo período?

5) Distinga as orações  adjetivas restritivas das explicativas, atentando-se ainda para a pontuação:
    a) Rui Barbosa, que foi grande escritor, deixou-nos um livro sobre questões de língua portuguesa: a Réplica.
    b) A primavera, que é a estação das flores, promete ser radiosa.
    c) Desconhecia todas as razões que ele me lembrou.
    d) Nem tudo o que reluz é ouro.
    e) Pedro II, que foi imperador do Brasil, gostaria de ser professor.
    f) As alegrias, que a vida nos proporciona, devem ser bem aproveitadas.
   g) Soube das novidades na casa do José, que é o meu melhor amigo.
   h) Falava sempre do sítio do avô, onde passava todas as férias.
   i) Sempre chegava atrasado, o que descontentava o patrão.
   j) O relógio que ganhei foi presente do meu padrinho.

6) Transforme as orações adjetivas explicativas em aposto:
     Colombo, que descobriu a América, nasceu em Gênova.
     Colombo, descobridor da América, nasceu em Gênova.
    a) O Tejo, que é o maior rio de Portugal, nasce em Espanha.
    b) O nosso parente, que reside em Lisboa, é rico.
    c) A Rússia, que é o maior país da Europa, confia ao poente coma Alemanha e a Áustria.
    d) José, que é meu primo, vem hoje aqui.
    e) Lisboa, que é a capital de Portugal, tem um porto excelente.
    f) Gutenberg, que inventou a imprensa, era natural de Mogúncia.
    g) A baleia, que é o maior de todos os animais, habita principalmente o mar glacial do norte.
    h) Cipião, que destruiu Cartago, era cognominado o Africano.

7) Divida os seguinte períodos em orações e classifique-as:
    a) Todavia, esperou com rosto seguro a chegada dos cavaleiros que subiam a encosta.
    b) Ele buscara na piedade de Deus o amparo que mal podia esperar das muralhas do forte edifício.
    c) O quinquagenário, em cujas faces pálidas passara um relâmpago de vermelhidão, recuou.
    d) A abadessa aproximou-se das reixas douradas que a separavam do guerreiro.
    e) A mulher procurou das às palavras que proferia um tom de firmeza.
    f) O incêndio que reverberava ao longe e o ruído de um grande combate davam prova da crueza da luta.
   g) Não tardam os cavaleiros que vêm juntar-se aos nossos.
   h) Cumprirei o que ordenas.
   i) Os três, que já iam longe, ouviram os gritos de socorro.
   j) Esta foi a primeira coisa que lhe feriu a vista.
   k) O sussurro que se ouvia entre tantos milhares de homens era cada vez mais acentuado.
   l) Os jovens caminhavam para a orla do bosque onde havia muitas flores.

8) Transforme as orações coordenadas em subordinadas adjetivas, intercalando-as na principal. Atente-se para o emprego da vírgula e a colocação pronominal:
  O âmbar é empregado em vários objetos de ornamento; e encontra-se no mar Báltico.
  O âmbar, que se encontra no mar Báltico, é empregado  em vários objetos de ornamento.

    a) A mocidade passa depressa; e é a mais bela época da vida.
    b) A Lua recebe a luz do sol; e é um satélite da Terra.

    c) O Mondego desemboca no Atlântico; e é um dos rios principais de Portugal.
    d) Sintra é visitada por nacionais e estrangeiros; e é o mais belo sítio de Portugal.
    e) A cicuta é uma planta aquática; e é conhecida pelas suas flores pequenas e brancas.
    f) Aqueles cães não mordem; e ladram muito.
    g) Aqueles livros são muito instrutivos; e foram-se oferecidos pelo professor.
    h) O Tejo banha Lisboa; e é o maior rio de Portugal.
    i) A mocidade diz o que intenta fazer; e ela é incauta.
    j) Aqueles homens não querem submeter-se à leis; e eles são maus cidadãos.
    k) A ventoinha é a imagem dos homens inconstantes; e ela vira com todos os ventos.





Gabarito:
1) a) O homem que trabalha vence na vida.
    b) O aluno que se preocupa sente-se inseguro.
    c) O homem que sorri revela despreocupação.
    d) O aluno que se interessa aprende.
2) O atacante, cujo contrato com o time brasileiro terminou, foi negociado com o Barcelona, que é o atual líder do campeonato espanhol.
3) cujo velho sonho era a formatura do filho: oração subordinada adjetiva explicativa.
    que andava desde anos atrapalhados para arranjar um pasto: oração subordinada adjetiva explicativa.
 4) Castrioto, o escrivão do juiz de paz, pensou no muro.
 5) a) explicativa
     b) explicativa
     c) restritiva
     d) restritiva
     e) explicativa
     f) explicativa
     g) explicativa
     h) explicativa
     i) explicativa
     j) restritiva

6) a) O Tejo, o maior rio de Portugal, nasce em Espanha. 
    b) O nosso parente, residente em Lisboa, é rico.
    c) A Rússia, o maior país da Europa, confina ao poente com a Alemanha e a Áustria.
    d) José, meu primo, vem hoje aqui.
    e) Lisboa, capital de Portugal, tem um porto excelente.
    f) Gutenberg, inventor da imprensa, era natural de Mogúncia.
    g) A baleia, o maior de todos os animais, habita principalmente o mar glacial do norte.
    h) Cipião, destruidor de Cartago, era cognominado o Africano.

7) a) Oração principal: Todavia, esperou com rosto seguro a chegada dos cavaleiros 
        Oração subordinada adjetiva restritiva: que subiam a encosta.

    b) Oração principal: Ele buscara na piedade de Deus o amparo
        Oração subordinada adjetiva restritiva: que mal podia esperar
das muralhas do forte edifício

    c) Oração principal: O quinquagenário recuou.
        Oração subordinada adjetiva explicativa: em cujas faces pálidas passara um relâmpago

    d) Oração principal: A abadessa aproximou-se das reixas douradas 
        Oração subordinada adjetiva restritiva: que a separavam do guerreiro.

    e) Oração principal: A mulher procurou das às palavras um tom de firmeza
        Oração subordinada adjetiva restritiva: que proferia

    f) Oração principal: O incêndio e o ruído de um grande combate davam prova da crueza da luta
        Oração subordinada adjetiva restritiva: que reverberava ao longe e o ruído de um grande combate davam prova da crueza da luta.

    g) Oração principal: Não tardam os cavaleiros 
        Oração subordinada adjetiva restritiva: que vêm juntar-se aos nossos.

   h) Oração principal: Cumprirei o (=aquilo)
       Oração subordinada adjetiva restritiva: que ordenas.
   
   i) Oração principal: Os três ouviram os gritos de socorro.
      Oração subordinada adjetiva explicativa: que já iam longe 

   j) Oração principal: Esta foi a primeira coisa a vista.
      Oração subordinada adjetiva restritiva: que lhe feriu

   k) Oração principal: O sussurro era cada vez mais acentuado
       Oração subordinada adjetiva restritiva: que se ouvia entre tantos milhares de homens

   l) Oração principal: Os jovens caminhavam para a orla do bosque     
      Oração subordinada adjetiva restritiva: onde havia muitas flores.

8) a) A mocidade, que é a mais bela época da vida, passa depressa.
    b) A Lua, que é um satélite da Terra, recebe a luz do Sol.
    c) O Mondego, que é um dos rios principais de Portugal, desemboca no Atlântico.
    d) Sintra, que é o mais belo sítio de Portugal, é visitada por nacionais e estrangeiros.
    e) A cicuta, que é conhecida pelas suas flores pequenas e brancas, é uma planta aquática.
    f) Aqueles cães que ladram muito não mordem.
    g) Aqueles livros que me foram oferecidos pelo professor são muito instrutivos.
   h) O Tejo, que é o maior rio de Portugal, banha Lisboa.
   i) A mocidade, que é incauta, diz o que intenta fazer.
   j) Aqueles homens que são maus cidadãos não querem submeter-se às leis.
  k) A ventoinha, que vira com todos os ventos, é a imagem do homem inconstante.

 

Orações subordinadas substantivas



   As orações subordinadas substantivas são aquelas que exercem função própria de substantivo em relação à oração principal. São iniciadas pelas conjunções que ou se e podem ser substituídas por isto/isso.

  Observe:
  Era esperado que chovesse intensamente./Era esperado isso.

  As orações subordinadas substantivas subjetivas exercem a função de sujeito em relação à oração principal. O verbo na principal estará na 3ª pessoa do singular, porque o sujeito vem em forma de oração. Portanto, atenção, não pode haver sujeito na oração principal. Lembra daquela famosa perguntinha para identificar o sujeito da oração? Localize o verbo e questione "o quê?" ou "quem"?
Algumas estruturas ajudam a reconhecer a oração subjetiva.

 * Verbo de ligação + adjetivo/substantivo/advérbio + que/se...
    Era esperado que chovesse intensamente. (O que era esperado? Que chovesse intensamente. Portanto, a  oração "que chovesse intensamente", é o sujeito da oração principal).

    É necessário que todos estudem.  (O que é necessário? Que todos estudem. Logo, a oração "que todos estudem", é o sujeito da oração principal).

 * Verbo transitivo direto (3ª pessoa do singular) + se (partícula apassivadora + que/se...
    Não se sabe se haverá aula.        
    Sabe-se que o estudo é importante.

*  Locução verbal  (ser, estar, ficar + particípio) + que/se...
    Ficou provado que ele foi classificado no concurso.
    Está decidido que todos os alunos devem fazer a prova.

*  Verbos parecer, convir, suceder, acontecer, ocorrer, urgir + que/se...
    Convém que todos estudem com frequência.
    Parece que a prova está fácil. 

  As orações subordinadas substantivas objetivas diretas funcionam como objeto  direto de um verbo da oração principal.  Lembre-se que o verbo, no caso, será transitivo direto ou transitivo direto e indireto. A oração principal tem sujeito + verbo.
   Exemplos:
   Perguntei se todos estavam satisfeitos. (A oração funciona como OD do verbo "perguntar" da oração principal)   

   O folclore diz que os compromissos são marcados para antes ou depois da chuva(A oração funciona como OD do verbo "dizer" da oração principal)

   As orações subordinadas substantivas objetivas indiretas exercem a função sintática de objeto indireto de um verbo da oração principal. Nesse caso, o verbo será transitivo indireto ou transitivo direto e indireto e exigirá preposição. Note que a oração subordinada iniciará pela preposição.
    Exemplos: 
    Necessitávamos de que nos ajudassem. (A oração funciona como OI do verbo "necessitar" da oração principal. Quem necessita, necessita de ...) 
    Gostaria de que todos me apoiassem. (A oração funciona como OI do verbo "gostar" da oração principal. Quem gosta, gosta de...) 

    As orações subordinadas substantivas completivas nominais exercem a função de complemento nominal da oração principal. É fácil a confusão entre a completiva nominal e a objetiva indireta, devido à presença da preposição. Mas, é só observar se a oração está complementando nome ou verbo.  
   Exemplos:  
  Tínhamos certeza de que não choveria mais. (Perceba que a oração subordinada está complementando o substantivo "certeza" da oração principal, e não o verbo)
    Sou favorável a que se proceda a uma nova pesquisa. (Note que a oração subordinada está complementando o adjetivo "favorável")

   As orações subordinadas substantivas predicativas funcionam como predicativo do sujeito - termo que caracteriza o sujeito por meio de um verbo. Normalmente, a oração principal apresenta sujeito + verbo de ligação.
   Exemplos:
   Minha esperança era que a chuva parasse. 
            sujeito                   VL

   O meu desejo é que todos colaborem.
          sujeito                 VL 

   As orações subordinadas substantivas apositivas exercem a função de aposto - termo que explica, esclarece, identifica um nome que o antecede.  Vêm normalmente separadas por dois-pontos, vírgula ou travessão.
   Exemplos: 
   Só desejo uma coisa: que você volte logo.  (A oração subordinada funciona como uma explicação do termo anterior "coisa",  da oração principal)

   Esperamos sinceramente isto: que estudem. (A oração subordinada funciona como uma explicação do termo anterior "isto", da oração principal)
  

Orações subordinadas


terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Orações subordinadas adjetivas



   As orações subordinadas adjetivas exercem a função própria de adjetivo em relação à oração principal. Funcionam como um acessório (adjunto adnominal) em relação à oração principal. São iniciadas pelos pronomes relativos que, quem, cujo, quanto, onde, como, quando.
   É fácil perceber a correspondência entre uma oração adjetiva e um termo adjetivo.
   * Nem sempre uma obra que provoca emoção é boa literatura.
   * Nem sempre uma obra emocionante  é boa literatura.
 Nem sempre é possível substituir a oração subordinada adjetiva por um adjetivo. No entanto, para identificar a oração subordinada adjetiva, é preciso verificar se ela está modificando um substantivo (ou palavra com valor de substantivo, como o pronome) da oração principal.

 * O aluno que estuda vence na vida. 
    A oração "que estuda" modifica o substantivo "aluno" da oração principal, tal qual um adjetivo. 

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Monossílabos átonos X monossílabos tônicos





    Os monossílabos átonos não possuem acentuação própria; são pronunciados com 
menor intensidade.
    Os monossílabos tônicos possuem acentuação própria; são pronunciados com 
bastante intensidade.
    Atenção!  Alguns monossílabos são átonos em algumas frases e em outras são 
tônicos.
    Exemplos:  Você trouxe esse livro para quê tônico
                       Que tem dentro dessa bolsa?   átono

terça-feira, 3 de novembro de 2015

O que é frase?





Na frase declarativa faz-se uma declaração, simplesmente. O enunciado pode ser afirmativo ou negativo. Termina em ponto (.) ou reticências (...)
Exemplos:
      Estudar a Língua Portuguesa é fácil.
      Você não vai à festa.

A frase interrogativa apresenta um questionamento, uma pergunta direta ou indireta. No caso da interrogativa direta, termina em ponto de interrogação (?); se for indireta, termina em ponto (.).
Exemplos:
    Que bicho te mordeu?                 Interrogativa direta
    Não sei que bicho te mordeu.     Interrogativa indireta

A frase exclamativa exprime uma emoção e termina com ponto de exclamação (!).
Exemplos:
     Já  é meia-noite!
     Tirei nota dez!

A frase optativa exprime um desejo e termina em ponto (.) ou ponto de exclamação (!).
Exemplos:
     Deus te ouça!
     Tomara que você tire uma boa nota.

Ainda há um sexto tipo de frase para alguns gramáticos. Eles consideram a frase optativa, quando dita com tom de maldição, de praga, uma frase imprecativa.
Exemplo:
     Que o fogo do inferno te consuma!
      

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Palavras sem hífen



segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Uso do hífen


Não há como negar que é um assunto que ainda traz muitas dúvidas, depois da reforma ortográfica!


 O hífen é, basicamente, usado em três situações:
 * em formações por prefixação, unir prefixos ou falsos prefixos a radicais;
 * nas formas pronominais;
 * na separação de sílabas.




Convém complementar que usamos o hífen  também nas palavras compostas em que os elementos da composição (substantivo, adjetivo, numeral ou verbos) têm acentuação tônica própria e formam uma unidade significativa, sem elementos de ligação.
Exemplos: arco-íris, ano-luz, mesa-redonda, tenente-coronel, decreto-lei, fura-bolo, guarda-costas, segunda-feira.

O hífen deve ser usado em palavras compostas que designam espécies botânicas e zoológicas: abóbora-menina, louva-a-Deus, cobra-d'água, couve-flor, feijão-verde, erva-doce, bem-te-vi. 

Nos adjetivos compostos: surdo-mudo, nova-iorquino, verde-amarelo.

Com a partícula denotativa de designação eis seguida de pronome pessoal: eis-vos, eis-me.

Com os sufixos de origem tupi-guarani (açu, guaçu e mirim): amoré-guaçu, anajá-mirim, capim-açu.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Dissertação/Esquema I



Exemplo 1:
 Tema: Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver graves problemas que preocupam a todos. (Por quê?)

 Argumento 1 - Existem populações imersas em completa miséria.
 Argumento 2 - A paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais.
 Argumento 3 - O meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico.



Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver os graves problemas que preocupam a todos, pois existem populações imersas em completa miséria, a paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais e, além do mais, o meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico.

Embora o planeta disponha de riquezas incalculáveis – estas, mal distribuídas, quer entre Estados, quer entre indivíduos – encontramos legiões de famintos em pontos específicos da Terra. Nos países do Terceiro Mundo, sobretudo em certas regiões da África, vemos com tristeza, a falência da solidariedade humana e da colaboração entre as nações.

Além disso, nesta últimas décadas, temos assistido, com certa preocupação, aos conflitos internacionais que se sucedem. Muitos trazem na memória a triste lembrança das guerras do Vietnã e da Coréia, as quais provocaram grande extermínio. Em nossos dias, testemunhamos conflitos na antiga Iugoslávia, em alguns membros da Comunidade dos Estados Independentes, sem falar da Guerra do Golfo, que tanta apreensão nos causou.

Outra preocupação constante é o desequilíbrio ecológico,provocado pela ambição desmedida de alguns, que promovem desmatamentos desordenados e poluem as águas dos rios. Tais atitudes contribuem para que o meio ambiente, em virtude de tantas agressões, acabe por se transformar em local inabitável.

Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária. É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas forças ameaçadoras, para podermos suportar as adversidades e construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais facilmente habitado pelas gerações vindouras.



Exemplo 2:

 

Tema: É de conhecimento geral que a qualidade de vida nas regiões rurais é, em alguns aspectos, superior à da zona urbana.

Argumento 1 - No campo inexiste a agitação das grandes metrópoles.

Argumento 2 -No campo, há maiores possibilidades de se obterem alimentos adequados.

Argumento 3 - As pessoas dispõem de maior tempo para estabelecer relações humanas mais profundas e duradouras.

                A qualidade de vida na cidade e no campo

     É de conhecimento geral que a qualidade de vida nas regiões rurais é, em alguns aspectos, superior à da zona urbana, porque no campo inexiste a agitação das grandes metrópoles, há maiores possibilidades de se obterem alimentos adequados e, além do mais, as pessoas dispõem de maior tempo para estabelecer relações humanas mais profundas e duradouras.
    Ninguém desconhece que o ritmo de trabalho de uma metrópole é intenso. O espírito de concorrência, a busca de se obter uma melhor colocação profissional, enfim, a conquista de novos espaços lança os habitante urbano em meio a um turbilhão de constantes solicitações. Esse ritmo excessivamente intenso torna a vida bastante agitada, ao contrário do que se poderia dizer sobre a vida dos moradores da zona rural.
     Além disso, nas áreas campestres há maior quantidade de alimentos saudáveis. Em contrapartida, o homem da cidade costuma receber gêneros alimentícios colhidos antes do tempo de maturação, para garantir maior durabilidade durante o período de transporte e comercialização.
     Ainda convém lembrar a maneira como as pessoas se relacionam nas zonas rurais. Ela difere da convivência habitual estabelecida pelos habitantes metropolitanos. Os moradores das grandes cidades, pelos fatores já expostos, de pouco tempo dispõem para alimentar relações humanas mais profundas.
     Por isso tudo, entendemos que a zona rural propicia a seus habitantes maiores possibilidades de viver com tranquilidade. nos resta esperar que as dificuldades que afligem os habitantes metropolitanos não venham a se agravar com o passar do tempo.